Notícia

Skip Navigation LinksHome > Simpro > Notícia

Nova lente resolve problemas de visão residuais da cirurgia de catarata
17/06/2010

A lente corrige astigmatismo, miopia, hipermetropia e presbiopia

         O tratamento para a catarata está cada dia mais evoluído. Agora, os especialistas contam com uma nova lente que corrige problemas que nem sempre podem ser resolvidos com a cirurgia de catarata. “A nova lente, que é implantada sobre a lente já implantada, permite corrigir astigmatismo, miopia, hipermetropia e principalmente, a presbiopia – dificuldade em enxergar de perto e longe ao mesmo tempo”, conta o oftalmologista Dr. Marco Canto , diretor da Clínica Canto.
         Na cirurgia da catarata, o paciente recebe anestesia tópica, apenas com colírios anestésicos, e é liberado para casa no mesmo dia. “Às vezes o paciente tem alguma dificuldade visual por causa dos efeitos residuais da anestesia. Mas em dois dias a melhora visual é notada”, afirma o oftalmologista. A nova cirurgia segue os mesmos procedimentos, com recuperação em poucas horas. “O melhor ainda dessas novas lentes é que elas são reversíveis, ou seja, podem ser retiradas ou substituídas, o que não acontece com as que são implantadas na cirurgia para correção da catarata”, expõe o oftalmologista.
         Entretanto, ainda só é possível tratar um problema de cada vez. “Possuímos três lentes: uma para corrigir o grau de miopia ou hipermetropia, outra para astigmatismo residual, e a última para presbiopia, que permite o paciente ter uma visão de perto e de longe ao mesmo tempo, corrigindo também graus de miopia e hipermetropia”, aponta Dr. Marco Canto. “Em breve, será lançada uma lente que corrige miopia ou hipermetropia, astigmatismo e presbiopia, tudo junto”, revela.   

Entenda a catarata
A doença é um processo de opacificação do cristalino, que é a lente natural do olho responsável pela focalização da imagem na retina. Apesar da catarata surgir quase sempre na terceira idade, devido ao envelhecimento natural, em algumas pessoas pode manifestar-se precocemente. A doença pode afetar um ou os dois olhos ao mesmo tempo e também é causada por outros fatores como a diabetes, rubéola, tuberculose, toxoplasmose, traumas e uso excessivo de alguns medicamentos. De acordo com Dr. Marco Canto, a catarata ainda pode ter causa congênita e estar presente desde o nascimento.
No estágio inicial da doença, o paciente percebe apenas uma pequena turvação, embaçamento e desconforto, que aumenta progressivamente, impedindo a nítida visualização dos objetos e letras até a obstrução total da visão. Não existe prevenção para a catarata e o único tratamento é a cirurgia. “Hoje, a cirurgia da catarata é a mais realizada no mundo e leva apenas alguns minutos. Mas é importante ressaltar que todo o processo operatório demora de 2 a 3 horas”, esclarece Dr. Marco Canto.

Expressa Comunicação
(41) 3233-4032 ou 3324-4473

 


Fonte: