Notícia

Skip Navigation LinksHome > Simpro > Notícia

Norte ganha primeiro Banco Público de Sangue de Cordão
24/06/2010

Unidade da Amazônia, a nona do país, aumenta chance de transplante e diversifica perfil genético da Rede BrasilCord

 

Belém (24/06) - Nesta quinta-feira será inaugurada em Belém (PA) a nona unidade da Rede de Bancos Públicos de Sangue de Cordão Umbilical (Rede BrasilCord). A ampliação da rede no país tem entre seus principais objetivos aumentar as chances de realização de transplantes de medula óssea. Nesse contexto, é fundamental a inauguração de um Banco Público de Sangue no Norte do Brasil, onde parte expressiva da população tem miscigenação indígena.

O investimento médio no banco de sangue de Belém foi de R$ 3,5 milhões e a nova unidade tem capacidade para até 3.600 bolsas de sangue de cordão. Como os demais, o novo banco foi viabilizado com recursos da ordem de R$ 31,5 milhões obtidos por convênio com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em 2008. A Fundação do Câncer administra financeiramente o projeto, que é implementado em parceria com o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

A Rede BrasilCord hoje é abastecida com material genético das populações das mais diversas regiões do país e a meta é atingir, até 2011, 13 bancos no país. “A intensa miscigenação étnica da população brasileira dificulta a localização nos registros de doadores voluntários existentes”, afirma Luís Fernando Bouzas, diretor do Centro de Transplante de Medula Óssea do INCA e coordenador da Rede BrasilCord.  “Outro benefício, é levar desenvolvimento tecnológico, servindo de base para novos centros realizarem transplantes", afirma Bouzas.

A inovação tecnológica na região norte também é ressaltada por Luiz Antonio Santini, diretor-geral do INCA. “É um incremento para a infraestrutura local em pesquisa, além de enriquecer a rede com informações genéticas características dessa região do país”, observa Santini.

Criada pelo Ministério da Saúde em 2004, a Rede BrasilCord prevê ainda a inauguração de bancos no Rio Grande do Sul, em Pernambuco e em Minas Gerais. A expectativa é armazenar, nos próximos anos, 65mil unidades de sangue de cordões umbilicais – quantidade considerada ideal para a demanda de transplantes no país, somada à colaboração dos doadores voluntários de medula.  “A expansão da Rede BrasilCord amplia a capacidade de se encontrar doadores não-aparentados para transplantes”, diz o superintendente da Fundação do Câncer, Jorge Alexandre dos Santos Cruz.

 

Serviço: Inauguração do Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário de Belém
Data: 24/06

Local: Hemopa (Travessa Padre Eutíquio, 2.109 - Auditório Batista Campos), em Belém, Pará

Horário: 16h

Mais informações:

Assessoria de imprensa do Inca

 

imprensa@inca.gov.br

Gabriela Athias
gabriela.athias@fsb.com.br
(21) 8813-1081

Kátia Thomas
kthomas@inca.gov.br
(21) 2506-6607/ 9848-7905

Andresa Feijó
andresa.feijo@inca.gov.br
(21) 2506-6359 / 9907- 5918

Ingrid Trigueiro
ingrid.trigueiro@inca.gov.br
(21) 2506-6646/ 8836-0775

 


Fonte: