Notícia

Skip Navigation LinksHome > Simpro > Notícia

ABIMO participa de seminário sobre Lei Geral de Proteção de Dados na Saúde
18/04/2019

Para Consultor de Tecnologia, Ética e Governança precisam ser focos da discussão da LGPD

“O fio da LGPD é a ética e ponto final”, afirmou categoricamente o Consultor de Tecnologia da ABIMO, Donizetti Louro, nesta quarta-feira (17) durante o seminário “Impactos da Lei Geral de Proteção de Dados na Saúde”. Realizado em São Paulo pela Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed) em parceria com a Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), o Instituto Coalizão Saúde (ICOS), a Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS) e o Comitê da Cadeia Produtiva da Saúde e Biotecnologia da Fiesp (ComSaude), o evento apresentou os impactos da nova legislação no setor.

Ao lado de especialistas como o Coordenador do GT de Tecnologia da Informação da Anahp, Ailton Brandão; a Coordenadora do GT de Proteção de Dados da Abramed, Rogéria Cruz; a Diretora Jurídica da Interfarma, Tatiane Schofield; e o Consultor Jurídico da Associação Brasileira da Indústria de alta Tecnologia de Produtos (Abimed), Benny Spiewak; o Consultor da ABIMO integrou o painel “Impactos da LGPD para o setor de saúde: Como as instituições estão se preparando?”. Com a moderação do pelo Vice-Presidente do ICOS, Giovanni Cerri, o debate de 80 minutos reuniu 400 pessoas presencialmente e foi assistido por outras 770 em transmissão online.

“Vai demorar um pouco para a indústria compreender a inteligência artificial no setor da saúde. O entendimento é fácil, a compreensão é um pouco mais difícil”, explica Donizetti Louro, docente da USP e professor da área de inteligência artificial há 24 anos. Segundo ele, o tema engloba “governança e risco” e o conhecimento técnico precisa estar ao lado do conhecimento legal “Não estamos discutindo algo jurídico, estamos discutindo algo da ética do País. O que nós temos como missão é salvar vidas na área de saúde”, afirma ele, lembrando que optou por trabalhar com inteligência médica há 19 anos para “minimizar o sofrimento médico na hora de tomar uma decisão”. “Sistema, cultura compartilhada, tudo isso que engloba a LGPD da Saúde passa por inteligência humana ou artificial. No que depender da ABIMO, a gente vai atuar para em conjunto chegar a um consenso e levar um pouco mais de tranquilidade à indústria, fazendo que ela esteja preparada para essa fase que já chegou”, completa.


Fonte: https://bit.ly/2UG2mt0