Notícia

Skip Navigation LinksHome > Simpro > Notícia

HOSPITAL SAN PAOLO INVESTE EM SERVIÇO DE DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO CÂNCER DE MAMA
17/12/2008

São Paulo, dezembro de 2008 - O Câncer de Mama é o tumor maligno que mais atinge a mulher e, atrás apenas do Câncer de pulmão, ele é a segunda maior causa de morte por Câncer no público feminino. Nos E.U.A estima-se que uma a cada oito mulheres desenvolvem tumores malignos nas mamas e é previsto que, neste ano de 2008, o número de novos casos tenha ultrapassado a casa dos 180 mil. Em contrapartida, a busca por diagnósticos precoces cresce exponencialmente. Novos aparelhos e medicamentos revelam resultados promissores na cura do Câncer de Mama.

Grande parte da contribuição por diagnósticos cada vez mais precisos deve-se a exames de rotina como o auto-exame e consultas médicas anuais acompanhadas por exames de imagem como o ultrassom e Mamografia.

O Hospital San Paolo, referência em saúde na Zona Norte de São Paulo, ciente da importância dos exames preventivos e de um tratamento de qualidade para suas pacientes, implantou uma estrutura completa para a detecção e tratamento do Câncer de Mama. Foi adquirido pelo hospital um mamógrafo da marca GE DMR compatível com o sistema de Estereotaxia, aparelho que ajuda na identificação das lesões suspeitas não palpáveis. Além do mamógrafo também foi adquirido um ultrassom GE Logiq P5 Advanced LCD Monitor voltado especialmente para auxiliar no diagnostico do Câncer.

Além de novos aparelhos, o hospital traz para a Zona norte da capital paulista uma equipe capacitada para a realização desse exame, bem como para um possível tratamento precoce da doença. “A mamografia com Estereotaxia pode detectar um Câncer microscópico não palpável em 80% das pacientes, afirma o Dr. Celso Borrelli, Coordenador do serviço de Ginecologia e Obstetrícia do San Paolo. As microcalcificações representam o primeiro estágio do Câncer de Mama e com esse exame aliado a pequenas cirurgias é possível diagnosticá-las e assim tratar a doença o mais rápido possível, conservando as mamas e tornando a cura algo tangível, ressalta.


Fonte: