Notícia

Skip Navigation LinksHome > Simpro > Notícia

Cristália inaugura nova unidade farmacêutica de R$ 160 milhões que quadruplicará a capacidade de produção
15/01/2010

Presidente Lula e o Governador Serra são presenças  confirmadas no evento

Com investimentos de R$ 160 milhões, o Laboratório Cristália - referência  nacional em inovação no setor farmoquímico - inaugura em 22 de janeiro sua nova unidade farmacêutica em Itapira, cidade a 160 quilômetros de São Paulo. A nova fábrica foi projetada para quadruplicar a produção do laboratório, conforme a demanda do mercado. A unidade, com 35 mil metros quadrados de área construída, contém o que existe de mais avançado no segmento de produção farmacêutica, com equipamentos inéditos no Brasil, alguns essenciais para credenciar o Cristália como uma empresa capacitada a exportar medicamentos para a Europa e Estados Unidos. O Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Ministro da Saúde José Gomes Temporão e o Governador José Serra já confirmaram presença na solenidade de inauguração.

 

A fábrica possui produção automatizada, sem contato manual, o que garante total segurança aos medicamentos fabricados e aos colaboradores da empresa. Nessa nova planta, a quarta farmacêutica do Laboratório Cristália, a produção será dividida em quatro áreas específicas: sólidos (comprimidos simples e revestidos, drágeas e cápsulas), semi-sólidos (pomadas, cremes e geléias), líquidos (suspensões, emulsões, elixires e gotas) e colírios. Todos esses produtos terão sua produção bastante ampliada.

 

Produção aumentará até 4 vezes, dependendo do medicamento

A nova unidade farmacêutica permitirá ao Laboratório Cristália quadruplicar sua produção de comprimidos, liofilizados, bem como ampliar a fabricação de semi-sólidos e colírios, quando estiver operando na capacidade máxima.

Atualmente, a produção de comprimidos é de 107 milhões de unidades mensais. Com o início de funcionamento da nova fábrica, o Laboratório Cristália passará a produzir mais 150 milhões de unidades, totalizando 257 milhões de comprimidos por mês. Mas dependendo da demanda do mercado, a empresa já está preparada para ampliar essa produção até sua capacidade máxima de 407 milhões de unidades mensais.

Os números também são expressivos na produção de medicamentos liofilizados (conservados em baixas temperaturas). Atualmente, a produção de liofilizados do Cristália é de 600 mil unidades por mês. Com o início da operação da nova fábrica subirá para 1,7 milhão e, quando a capacidade máxima for atingida, chegará a 2,4 milhões de unidades mensais, que correspondem ao quádruplo do volume atual.

Com uma produção de 650 mil unidades ao mês, o volume de semi-sólidos fabricados pelo Cristália aumentará para 1,65 milhão de unidades com a nova planta, podendo chegar a 4,05 milhões de unidades quando a capacidade máxima for alcançada. Já os colírios terão sua produção aumentada de 140 mil para 400 mil unidades mensais nesta primeira etapa, e futuramente para 940 mil unidades.

Com isso, o Cristália poderá ampliar suas exportações. Atualmente, o laboratório exporta cerca de 5% a 6% de sua produção. A projeção para os próximos três anos é ampliar as exportações para o equivalente a 10% do total produzido. A expansão será focada em grandes mercados como Estados Unidos, Europa e Japão, uma vez que a nova fábrica do Cristália satisfaz os requisitos técnicos exigidos em escala mundial.


Tecnologia avançada e geração de empregos

O projeto e construção da nova fábrica exigiram muito trabalho e planejamento. Diretores do Laboratório Cristália participaram de feiras internacionais e visitas técnicas a outros laboratórios no mundo para conhecer soluções em arquitetura, materiais e equipamentos. As obras de construção duraram três anos. Foram dadas prioridades à otimização de processos e espaços, à funcionalidade e à aquisição de equipamentos mais modernos quanto à eficiência.

Além de garantir tecnologia avançada para a produção de medicamentos, a nova unidade vai gerar empregos. Em uma primeira etapa, serão gerados cerca de 150 empregos diretos, podendo chegar a 330 quando estiver a plena carga. O Cristália também se preocupou em abrir suas portas para a comunidade médica e científica. Na nova fábrica, os visitantes poderão acompanhar de perto a produção, através de um corredor de visitação especialmente projetado para esta finalidade.

Diferenciais

Para garantir o aumento de produção com melhor aproveitamento de matéria-prima e demais insumos, o Cristália investiu significativamente em equipamentos produtivos de alta tecnologia.  O grande diferencial dessa planta produtiva reside no sistema valvular exclusivo, capaz de permitir a transferência de materiais com absoluta estanqueidade, o que garante a não contaminação recíproca de operadores e produtos. O sistema é o primeiro a ser instalado na América Latina.


Sobre o Laboratório Cristália

O Cristália começou em 1972 para atender apenas à demanda local de medicamentos psiquiátricos. A empresa cresceu e ampliou sua gama de produtos, que hoje totaliza 180 medicamentos em 376 diferentes vias de administração e dosagens. Os investimentos em pesquisa já renderam ao laboratório 121 pedidos de patente (já depositados), referentes a 22 tecnologias, sendo que 15 patentes foram concedidas.

Por manter a filosofia de oferecer medicamentos com qualidade e preço justo, o Laboratório Cristália se tornou balizador de preços no mercado público e privado, incrementando a concorrência nesses dois setores até então dominados pelos laboratórios internacionais.

No Cristália, grande parte da linha de produção é destinada aos hospitais, concentrada na fabricação de anestésicos e adjuvantes, o que rendeu ao laboratório o título de maior fabricante desses produtos na América Latina. Além disso, é o único laboratório brasileiro que produz verticalmente medicamentos para o Programa Anti-Aids - desde a matéria-prima (princípio ativo) ao produto acabado.

Serviço

Evento: Inauguração da nova unidade farmacêutica do Laboratório Cristália
Dia: 22 de janeiro de 2009
Horário: 10h00
Local: Rodovia Itapira-Lindoia, Km 31,5, Itapira (SP)


Fonte: