Editorial da Revista Simpro Hospitalar

Edição nº 124

Estamos vivendo um momento onde as empresas da área de Saúde, objetivando a sustentação e desenvolvimento de suas carteiras, buscam alternativas que contribuam para a redução de seus custos e melhora nos preços de seus planos de saúde.

Nesta proposta o foco está voltado para novos modelos de remuneração dos serviços de saúde.

Embora o mercado peça este movimento, entendemos que ele não pode ser tratado pela superficialidade dos processos. Para avançarmos nesta direção em médio prazo, as ações precisam ser estruturadas com indicadores que embasem estes processos, como por exemplo um código único para MAT/MED, estudo de sinistralidade das carteiras - por faixa etária e considerando o CID das mesmas, processo estatístico confiável, composição dos valores de um procedimento, regionalização, entre outros.

Entendemos que enquanto todos os players envolvidos nessa causa não se comprometerem com afinco e de forma engajada na construção clara e fundamentada das informações, a tão almejada mudança nos processos não evoluirá com êxito.


Bons negócios!